3 de março de 2017

Gastar menos e ganhar mais

Para aqueles que não gostam de números, sinto lhe dizer que quase tudo na vida pode ser representado numericamente. Aqueles que dominam números e suas infinitas aplicações conseguem não somente entender melhor o mundo ao seu redor, mas também aplicar este conhecimento para criar efeitos favoráveis em seu dia a dia.

Aplicando este conceito, iremos agora revisar duas fórmulas matemáticas extremamente complexas. Poucos conseguem refletir sobre as variáveis nestas fórmulas, e menos pessoas ainda conseguem colocar em prática suas ramificações. Preparem-se! Talvez vocês tenham que se inscrever num MBA de economia ou obter um Mestrado (ou Doutorado) em Matemática para conseguirem entender este conceito, pois realmente é algo que pouquíssimas pessoas dominam. Respire fundo antes de ir para a próxima linha.

Fórmula de fracasso financeiro:
GANHAR < GASTAR

Fórmula de sucesso financeiro:
GANHAR > GASTAR

Desvendando os mistérios da matemática

23 de fevereiro de 2017

Independência Financeira

Os gafanhotos anciões contam a lenda de uma misteriosa criatura mitológica, que até pouco tempo atrás havia se apresentado para apenas um grupo seleto de pessoas. Essa criatura, diz a lenda, possui a incrível habilidade de sobrevoar todos os cantos do mundo, dia após dia, distribuindo rendimentos para aqueles que se prepararam durante muitos anos, poupando e investindo seu dinheiro de maneira planejada e inteligente.

Até alguns anos atrás, poucos haviam visto ou ate mesmo ouvido falar desta criatura. Porém, com a expansão da internet, e, consequentemente, da troca de informações entre as pessoas, esta criatura tem ganhado fama mundo afora. Sua habilidade de distribuição de rendimentos é cobiçada por muitos. Inúmeras pessoas dedicam anos de suas vidas para encontrá-la, renunciando, ao longo do caminho, muitas crenças falsas e práticas auto destrutivas. Dos que já a encontraram, quase todos afirmam que a busca pela criatura foi mais recompensadora do que o encontro em si, pois foi uma incrível jornada de auto descoberta, invocando forças extraordinárias de auto controle e disciplina, moldando uma mente adepta ao planejamento e estratégias.

É possível hoje encontrar diversas informações e até mesmo definições sobre esta criatura. Por ser tão mística, cada pessoa tende a interpretá-la com base em sua própria experiência de vida e desejos particulares. Existem diversos autores que afirmam possuir o guia certo para o encontro desta criatura, alguns focando em apresentar o caminho mais rápido, outros o caminho mais aproveitoso, outros até mesmo o caminho mais fácil. Aqui, para manter o padrão, vamos abordar o caminho menos sério para encontrar esta criatura espetacular. Para começar, vou divulgar, pela primeira vez, uma imagem baseada em relatos de primeira mão daqueles que já tiveram a honra de encontrar a criatura em seu habitat natural:

A lendária Independência Financeira

O nome desta criatura mitológica é Independência Financeira.


18 de fevereiro de 2017

Bê-a-bá das finanças

Um dos principais motivos pelo qual a humanidade até hoje não conseguiu entender o motivo da nossa existência é porque nossa mente não consegue compreender a ideia de que algo sempre existiu. Para nós, tudo tem um começo. Nossas vidas e tudo que vemos tem um começo e um fim. Somos tão obcecados com esse conceito que arbitrariamente estipulamos que estrelas nascem e morrem, e que um dia o Big Bang deu vida ao universo, ou até mesmo que lá atrás Deus criou o universo em sete dias, incluindo Adão, Eva e todo o resto da existência.

Alguém é capaz de refutar de maneira absoluta algum desses pontos? Não! Tudo é possível. O fato de não termos a mínima ideia do que está acontecendo ao nosso redor abre infinitas possibilidades e as especulações tomam proporções engraçadas. Para evitar vergonha e sofrimento, não se apegue muito as "verdades" que são baseadas em conceitos que não compreendemos completamente.

Homer, um dos maiores poetas da humanidade, com uma imaginação extremamente poderosa, se limitou a crer que a Terra era um disco achatado. Aristóteles, um dos maiores cientistas da nossa história, propagava o modelo geocêntrico, onde o planeta Terra seria o centro do universo. Alguns anos depois, Galileo foi perseguido pela Igreja Católica por refutar o geocentrismo e defender a teoria de que a Terra não era o centro do universo, sendo apenas um planeta movendo ao redor de apenas uma estrela.

O atual conhecimento humano sobre o contexto em que existimos providencia inúmeros detalhes que nos ajudam a entender e explicar as engrenagens que giram ao nosso redor. Mas ainda assim não conseguimos responder as três perguntas básicas da existência:
1- Como tudo originou?
2- Por que estamos aqui?
3- O que acontece após a morte?

Não entendemos nada

16 de fevereiro de 2017

Seriedade leviana

As pessoas tendem a levar a vida a sério. E finanças talvez seja um dos assuntos que as pessoas mais levam a sério, dentro da infinita seriedade que já são suas vidas.

Neste blog vou abordar assuntos de maneira suave. Aqui, a vida e finança são apenas aspectos inevitáveis de uma existência temporária, repletas de diversão, enigma, ignorância e comédia trágica. Ambas devem ser aproveitadas sem moderação, entendidas sem complicação, e discorridas sem precaução.

Você pode se perguntar, "Como assim não levar minha vida a sério? Como assim não levar minhas finanças a sério?" Sim, pequeno gafanhoto, é possível planejar, controlar e determinar seus caminhos sem a intensa seriedade que a sociedade nos leva a crer ser necessário. O que é a vida se não uma gota no oceano da existência? O que são finanças se não apenas uma das infinitas companheiras na sua jornada pela vida?

Uma maneira eficaz de fazer sua vida perder a graça é através do medo da morte. Quando você considera algo intensamente importante, você tende a mover montanhas para protegê-lo. Você até mesmo deixa de aproveitar sua vida com a finalidade de preservá-la.

Enquanto você está preocupado em proteger sua vida, as experiências passam. As pessoas passam. A vida passa. É como tentar segurar um rio com as suas mãos. Você pode, por um tempo, conter um pedaço dele sob a proteção dos seus dedos, mas todo o resto passa. E eventualmente a água em suas mãos também te escapa, e você se encontra lamentado solitariamente na margem do rio.

Existe uma infinidade de conteúdo impresso e virtual sobre desenvolvimento pessoal e sobre finanças pessoais. Existem filosofias, teorias, análises, guias, etc. As pessoas levam a sério essas coisas. O desenvolvimento pessoal pode ser a diferença entre uma pessoa bem sucedida (seja lá o que isso quer dizer) e uma fracassada. Finanças pessoais podem resultar em uma pessoa de 35 anos financeiramente independente ou em um idoso que depende da caridade e má vontade dos filhos para ter um jantar na mesa. Então, sim, são duas coisas bastante importantes. E elas serão tratadas neste blog com toda a importância que merecem, porém sem a seriedade que muitos acham essencial.

A vida é muito importante para ser levada a sério


Para você embarcar nessa jornada comigo, gafanhoto, preciso te convencer que a vida realmente não deve ser levada a sério. Como disse Oscar Wilde, "A vida é muito importante para ser levada a sério." 

Olha você aqui:

Você