4 de setembro de 2017

Quem é Finanças Cotidianas

Eu


Quando eu idealizei este blog, foi com a intenção de agregar conteúdo didático/filosófico/divertido para aqueles que querem aprender sobre finanças no Brasil. Faz mais ou menos 6 meses desde que fiz minha ultima postagem. Esse grande buraco sem atualização ocorreu porque acredito que não era sobre isso o que queria falar aqui. Ou melhor, talvez seja exatamente isso que queira falar aqui, mas não da maneira que fiz.

O anonimato e/ou a superficialidade dos blogueiros de finanças do Brasil é algo que me incomoda. Aqueles que expõem seu nome e imagem não divulgam detalhes financeiros e se escondem atrás da justificativa que estão ensinando a pescar e não a dar o peixe, portanto não precisam e não devem divulgar detalhes das suas finanças. Os que divulgam os detalhes das suas finanças pessoais se mantem no anonimato, pois como todos sabemos, o Brasil não é um país que admira e aceita a riqueza alheia. Entre um e outro, qual escolher?

Eu morei muito tempo nos Estados Unidos. Alias, cresci lá. Lembro que os ganhadores da Loteria saiam toda semana no jornal, com a história da pessoa e uma foto dela segurando um cheque com o valor do prêmio. Não, isso não é coisa de filme. É a realidade lá. Aqui, se alguém souber que você tem dinheiro, uma infinidade de consequências podem ocorrer, sendo que a maioria é negativa. Alguns vão te pedir dinheiro, muitos terão inveja e, inevitavelmente, alguém irá te roubar (de maneira violenta ou não). E pior, se você for roubado sendo que você divulgava abertamente seu patrimônio, vão dizer que "você mereceu" ou "que pessoa burra, divulgando o patrimônio dessa forma". Igual a linda menina que sai de mini saia na rua de madrugada sozinha. Merece, né? Não, não merece! 

A fortuna de uma pessoa (seja ela financeira, estética ou qualquer outra) não deveria afetar de nenhuma maneira as ações de outras pessoas. Vivemos numa sociedade extremamente primitiva, onde impulsos primitivos, como inveja, agressividade e egoismo dominam as ações de muitas pessoas. Estes tipos de impulsos são institucionalizados, inclusive. É normal a maioria dos políticos pensar mais na sua própria prosperidade do que na do país e seus cidadãos? 

A ganância humana é algo incontestável. Chegamos onde estamos hoje, como uma espécie, através de instintos primitivos de sobrevivência. Por milhares de anos, os mais fortes dominavam os mais fracos. E os fracos sempre sofriam de acordo com a vontade dos mais fortes. Porém, em algum momento, o intelecto começou a ser a característica que determinava o sucesso de um individuo. Não mais o membro mais forte do grupo liderava. Começamos a ver o mais inteligente liderando. E não estou falando de inteligência book smart, aquele que tira 10 em todas as matérias na escola. Estou falando sobre a inteligência street smart (talvez esperteza seja a melhor tradução), aquele tipo de inteligência que permite uma pessoa atingir seus objetivos de maneira satisfatória com o menor esforço possível (o Bill Gates já explicou que costuma deixar as tarefas mais difíceis para os funcionários mais preguiçosos, pois eles sempre irão encontrar a maneira mais fácil e rápida de realiza-la). A liderança pela força permitiu que nossa espécie sobrevivesse. A liderança pela esperteza permitiu que nossa espécie evoluísse. 

Se você acha que nossa espécie não está mais evoluindo, como muitos religiosos afirmam para tentar contestar a Teoria da Evolução, você simplesmente está isolado ou desinteressado nos acontecimentos ao seu redor. O que Charles Darwin não pode prever 200 anos atrás era que a evolução humana não aconteceria mais em relação a características físicas. Nossa evolução seria uma do intelecto. Nunca antes uma espécie conseguiu evoluir tão rapidamente. O que nos separa de um gorila, por exemplo, é nossa capacidade de formar raciocínio complexo e a habilidade de registrar o aprendizado individual para o uso coletivo, possibilitando que gerações futuras aprendam em detalhe com as gerações passadas.

Nunca antes neste planeta uma espécie teve um avanço intelectual tão rápido quanto o nosso. 200 anos atrás Darwin levou anos para ir de ilha em ilha, fazendo rabiscos num caderno, tentando entender como tartarugas e pássaros evoluíram, tentando buscar alguma conexão com a evolução humana. 100 anos atrás, o homem estava aprendendo a voar pelos céus com aviões. 50 anos atrás o homem pisou na Lua e já tínhamos a cura de inúmeras doenças. 40 anos atrás veio o computador popular. 20 anos atrás, a internet. 10, o smartphone. 5, realidade virtual, energia solar, carros autônomos, impressora 3D, etc. Estamos numa curva exponencial de evolução tecnológica (intelectual) assustadora. Atualmente, em um ano é produzida mais tecnologia do que em 100 anos de qualquer momento da história do nosso planeta. No bolso de muitas pessoas do mundo hoje encontra-se um aparelho com maior potência tecnológica que qualquer ser humano teve acesso durante toda a sua vida em qualquer outra era da humanidade.


Estamos muito próximos do limite do avanço intelectual



Continuando nessa velocidade, onde iremos parar como uma espécie? Alguns pesquisadores afirmam que num futuro não muito distante (provavelmente na nossa geração ainda) a humanidade se tornará parte de uma rede neurológica, integrada a algum tipo de Inteligência Artificial. Não teremos mais corpos, doenças, necessidade de locomoção ou até mesmo morte. Parece bobagem de algum conto de ficção cientifica, não é? Mas o que no nosso mundo hoje não é ficção cientifica para quem viveu 100 anos atrás?

Evoluímos diariamente e estamos atualmente atingindo patamares inacreditáveis. E mesmo assim não posso divulgar meu nome e imagem neste blog sem precisar temer pelo meu bem estar e o da minha família, pois ainda vivemos em uma sociedade primitiva, similar ao que víamos 20-30 mil anos atrás, onde o mais forte dominava o mais fraco. Porém, no Brasil, não vence quem é mais forte. Vence quem é mais desesperado ou mais filho da puta. Desculpem-me por usar o termo agressivo, mas as vezes não podemos fugir dos termos mais adequados simplesmente para manter um linguajar limpo. Em primeiro lugar, a perfeição literária. Em segundo, o puritanismo do leitor.

Estamos prestes a vencer a morte como uma espécie e não posso te falar meu nome e contar minha história e ao mesmo tempo dividir com vocês minhas finanças pessoais. Devo escolher um ou outro. Este foi o principal fator que me fez parar de escrever neste blog logo após começa-lo. Se eu não tivesse esposa e filho, acho que divulgaria tudo aqui neste blog, pois acredito que o bem (divulgação honesta de informações verídicas) deve sempre vencer o mal (medo de ladrões, picaretas e invejosos me prejudicarem ou causarem danos). Mas escolhi iniciar uma família e, a partir do momento que tomei esta decisão, eles se tornaram minha prioridade.

Apesar da minha família ser o que tenho de maior valor na minha vida, acredito fortemente em justiça e em contribuir para o bem. Estamos afogando neste país num oceano de pessoas más, com intenções extremamente egoístas. Cabe a cada um de nós aprender a boiar, nadar e nos unir para construir um barquinho e aprender a navegar e, eventualmente, dominar esse oceano malévolo. O bem TEM que ganhar, e isso começa com cada um de nós.

Moral da história: não vou divulgar quem sou, mas vou dar todos os detalhes sobre quem eu sou. Se alguém quiser investigar, certamente irá me encontrar. Não vou viver no anonimato que vejo pelos blogs de finanças do Brasil. Os leitores não tem como realmente aprender com um blogueiro de finanças se ele não estiver disposto a divulgar detalhes. Como você, leitor, irá aprender a melhorar suas finanças se não sabe como melhorar seu emprego? Se não sabe como melhorar sua moradia? Ou seus hobbies? Ou interações com a família? É fácil postar uma atualização patrimonial mensal ou então escrever postagens de auto ajuda. Porém, as verdadeiras lições vem do exemplo vivido. Vem daqueles que saíram do nada e atingiram patamares inimagináveis. 

Temos excelentes blogueiros de finanças no Brasil. Imaginem se todos tivessem a coragem de realmente se expor e ser contabilizado pelas informações que são publicadas em seus posts. Adianta saber que fulano foi de X milhões para X,Y milhões de um mês pro outro? Adianta ler uma postagem que diz que você deve fazer A, B e C para ter sucesso, sendo que você não tem a mínima ideia se a pessoa escrevendo realmente pratica o que escreve? Blogs deste tipo se tornaram tão ridículos quanto as novelas da Globo ou revistas de celebridades, com conteúdos vazios e função única de fazer você se sentir mal. Nós merecemos mais que isto. VOCÊS merecem mais que isso!

Vocês precisam de detalhes! Caso contrário sou apenas um escritor egocêntrico carente por atenção ou uns trocados no AdWords com anúncios, publicando atualizações patrimoniais fictícias ou postagens sem conteúdo, apenas para aumentar as minhas visualizações de páginas. Prometo tratar vocês com honestidade e seriedade para que todos nós possamos crescer e fazer este país evoluir, através da evolução do individuo.

14 comentários:

  1. Nao conhecia seu blog, descobri la pelo abacus!

    Concordo com 100% do seu texto, tanto que ja pensei em "revelar minha identidade" (texto aqui http://meu1milhao.com/cotidiano-do-investidor/pensando-em-revelar-minha-identidade/) ... mas fazendo uma lista de pros e contras, os contras ganharam de longe. Queria poder dar a cara tapa, mas, no Brasil, é praticamente crime juntar dinheiro!

    Por esse motivo tb estou bem mais desanimado em escrever pro meu blog e fica mais como um registro historico pra mim mesmo.

    Continue postando! Ja assinei seu feed aqui!

    Abracos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala M1M! Obrigado pela visita, assinei seu feed tambem.
      Olha, é um pouco do que falei sobre o bem vencer o mal. O mal que encontramos no Brasil em relação as finanças não pode vencer o bem, que ao meu ver são aqueles com o conhecimento e potencial de influência necessários para abrir a mente de muitas pessoas para a possibilidade da IF. Eu "descobri" financas pessoais e IF recentemente em 2014 devido ao blog do MrMoneyMustache. Talvez estaria gastando todo meu dinheiro ainda se não fosse por ele. Muitos blogueiros aqui no Brasil tem esse mesmo potencial. Não podemos nos esconder no anonimato e não ajudar aqueles atualmente cegos.
      Como disse, não vou divulgar abertamente quem sou, mas também não vou me esconder. Vou falar o que for necessário para explicar minhas ideias, mesmo que aos poucos tenha que ir divulgando fatos importante que permitiriam qualquer um descobrir quem sou.
      E meu objetivo aqui não é divulgar meu patrimônio, pois isso sozinho só serve para gerar inveja alheia. O real valor dos blogs estão no conhecimento e troca de informações, e não nos números.
      Abração!

      Excluir
  2. Hoje realmente expor detalhamente o que você investe é complicado porque vivemos em um país é difícil até de se viver pelo tudo que relatou. Pretendo detalhar melhor e até mostrar de forma mais didatica possível como cheguei naquele determinado ponto de investimento até para estimular outros a tentar chegar naquele ponto pois hoje, temos varios blogs que o cara tem x milhão ou milhões mas a pergunta que fica é, como chegou naquele valor? Aquela pessoa realmente existe ou é mais um fake? Qual a credibilidade ? Enfim todas essa perguntas ficam no ar. De resto parabéns pelo blog é todo sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Fábio! Eu fiz questão de detalhar nesta postagem e nas últimas duas sobre quem sou e como atingi o patrimônio que tenho hoje. Os números em si não me interessam muito, pois são apenas números. O que realmente importa é as ideias e informações compartilhadas. Porém, pelo menos nos blogs de finanças do Brasil, a divulgação do patrimônio serve como um currículo para mostrar sua competência. Não concordo 100% com esta visão, mas como diz o ditado, "If you can't beat them, join them".
      Detalhei toda a evolução do meu patrimônio em duas postagens. Uma indo até 2014 e outra de 2014 até hoje. Foram períodos distintos em minha vida e mereceram postagens específicas.
      Tendo repassado essas informações básicas, estou livre agora para começar a postar coisas mais importantes.
      Abraço e espero ver mais comentários seus por aqui!

      Excluir
  3. Excelente FC, vou acompanhando seu blog, se quiser pode ir meu blog tbm que é mais focado em ações e outros tópicos. Www.investidorsocio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo, te adicionei ao meu blog roll. Vou te acompanhar também e vamos nos falando!

      Excluir
  4. Olá FinançasCotidianas!

    Gostei do seu post mesmo não concordando em sua totalidade. A questão de ter que se esconder é realmente triste, mas não nos resta outra opção.

    Infelizmente, muitos não querem saber de finanças. Quando comecei a estudar sobre o assunto, queria que todos ao meu redor melhorassem de vida. Mostrei a alguns algumas formas de gerir seu dinheiro e fiz a grande besteira de mostrar uma parte do meu patrimônio para um. Resultado, para a maioria fui taxado de "pão duro" Alguns ainda me chamaram de "pilantra (por tentar revender produtos)" e para o amigo que mostrei meu patrimônio, não mudou nada para o cara. Mesmo mostrando na pratica a ele como cheguei ali, a única coisa que ele aprendeu foi a me monitorar. Consegui me livrar dele ao dizer que "torrei a grana"

    Enfim, é um assunto delicado...

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Investidor Inglês!
      É uma situação bastante delicada, realmente. A mensagem que quis passar é que não acho necessário divulgar abertamente todos os detalhes da nossa vida, mas acho que muitos estão mais preocupados em manter o anonimato do que em ter discussões saudáveis e expor totalmente a visão nos blogs.
      Pretendo sempre detalhar todos os tópicos que abordar de uma maneira completa, mesmo que tenha que revelar dados pessoais. Isto com o objetivo, claro, de propagar conhecimentos financeiros e gerar conteúdo de qualidade para aqueles que querem aprender/crescer.
      Acho muito "vazio" apenas publicar números uma vez por mês. Isto agrega muito pouco para o conhecimento coletivo.
      Resumindo, quero poder contribuir para que nossa comunidade virtual (e quem sabe eventualmente a real também) possa se libertar do anonimato forçado, incentivando discussões mais completas e colaborativas. No Brasil, vemos muita coisa ruim. Só nós temos o poder de mudar isso. Uma das maneiras que pretendo contribuir é em não me entregar ao medo generalizado que dinheiro traz neste país.

      Excluir
    2. Legal isso!

      Em alguns posts que publiquei, acredito ter colocado esses detalhes que você fala, veja esse aqui

      http://investidoringles.blogspot.com/2017/07/como-fazer-aulas-de-tenis-com-pouco-dinheiro.html

      Já quanto a essa parte "No Brasil, vemos muita coisa ruim. Só nós temos o poder de mudar isso. Uma das maneiras que pretendo contribuir é em não me entregar ao medo generalizado que dinheiro traz neste país." Concordo plenamente!

      Excluir
    3. Muito boa essa sua postagem! É exatamente esse tipo de conteúdo que vale a pena publicar, oferecendo novas ideias e motivação para praticar algo inédito.
      Estou te acompanhando e parabéns pela dedicação no blog!

      Excluir
  5. Legal suas potagem Finanças, concordo quase que 100% com você, fiz um blog recentemente e não estou ligando tanto assim em manter o anonimato, e mais focado em aprender e tentar ensinar o pouco que sei aos leitores.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso ai, IP! O importante é o aprendizado e não o anonimato.
      Vou acompanhar seu blog!

      Excluir
  6. Antes de Construir ou Reformar, acesse: http://www.construirnolitoral.com.br

    ResponderExcluir
  7. Conheça a Riviera de São Lourenço, um ótimo lugar para investir em Imóveis. Acesse: www.pratesimoveisriviera.com.br

    ResponderExcluir